Figuras de Linguagem – Resumo, Exemplos e Exercícios

As figuras de linguagem, que são também chamadas de tropos, de figuras de retórica ou figuras de estilo, são recursos utilizados na fala ou na escrita que torna mais expressiva a mensagem a ser veiculada. Os valores atribuídos ao texto falado ou escrito são comprometidos pela boa compreensão das figuras de linguagem que ali se aplicam, de modo que, saber identificá-las, usá-las adequadamente em determinado contexto e entendê-las torna mais eficiente e claro o processo de comunicação entre as pessoas.

figuras de linguagem

Figuras de Linguagem

A aplicação adequada das figuras de linguagem se dá em favor de alcançar determinado efeito na interpretação do texto a ser transmitido para seu leitor ou seu ouvinte. As figuras de linguagem são formas de expressão mais direcionadas dentro de uma mensagem, são caracterizadas pelos seus aspectos semânticos, fonológicos ou sintáticos. Embora as figuras de linguagens sejam da alçada dos estudos da literatura, é mais recorrente do que se imagina a sua aplicação.



As figuras de linguagem são muitas e ainda que seja difícil dividi-las e classificadas, há métodos de classificação das figuras de linguagem: elas podem ser divididas em figuras de palavras ou de pensamento, grupo de recursos que compreende a alegoria, a ambiguidade, a ironia, a hipérbole, a cacofonia, a metáfora, a sinestesia, entre outros. Há também as chamadas figuras de construção ou figuras sintáticas, que contêm a aliteração, a anáfora, a assonância, a inversão e o pleonasmo, por exemplo. Ao passo que o primeiro grupo contenha estratégias de linguagem mais relacionadas à alteração semântica dos vocábulos, o segundo grupo se refere ao uso diferenciado das próprias palavras no texto.

Figuras de Linguagem

Entre as figuras de linguagem mais utilizadas comumente está a catacrese que consiste em aplicar certa palavra ou expressão para descrever algo, na ausência de outra mais propícia para tal, mas que alcança o mesmo efeito de compreensão, como é o caso de “dentes de alho”, “boca do fogão”, tão recorrentemente usados na linguagem do dia a dia. Recorre-se muito à hipérbole, à metonímia e à metáfora na comunicação diária, enquanto que a primeira figura se refere ao exagero que se dá em transmitir determinada mensagem, a segunda é um recurso que consiste no emprego de um vocábulo por outro, de modo que sejam ligados por alguma semelhança ou associação, como é o caso de “ler Clarice Lispector” ou “haver várias pernas no metrô”, já a metáfora é quando se aproximam dois termos, desvinculando-os de seu conectivo comparativo, como na frase “A mulher é uma flor”.

A plena aplicação e compreensão das figuras de linguagem em um texto não apenas corrobora a formação de leitores e escritores perspicazes, mas elucida os trâmites de comunicação entre as pessoas, o que facilita e esclarece possíveis mal-entendidos da linguagem, transcendendo a compreensão textual ao literário, ao simbólico e ao subjetivo.


Gostou? Compartilhe nas redes sociais :)

Cursos Gratuitos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *