Curso de Farmácia – Informações

Farmácia é o estudo dos processos de produção de medicamentos, itens de higiene e beleza e alimentos industrializados.

O objetivo do curso de Farmácia é formar profissionais com competência científica para atuar na restauração e promoção da saúde. O farmacêutico pesquisa e prepara medicamentos, cosméticos, produtos de higiene pessoal, avaliando os princípios ativos que entra na composição de cada um destes itens.

Ao contrário do senso comum, o bacharel em Farmácia não atua apenas em drogarias: mais frequentemente ele é encontrado na indústria (química, alimentícia, cosmética), nos laboratórios de análises clínicas e de toxicologia (inclusive forense), em bancos de sangue, hospitais e diversos órgãos públicos.



+ Leia também: Faculdade de Farmácia – Informações

De acordo com a legislação, apenas as drogarias que manipulam substâncias são obrigadas a manter um farmacêutico em seu quadro, mas muitos estabelecimentos, especialmente nas grandes redes, mantêm um profissional responsável por orientar os consumidores.

Curso de Farmácia

O currículo do curso de Farmácia é bastante extenso: os alunos estudam Sociologia, Antropologia, Citologia, Biossegurança, Anatomia, Química, Física, Matemática, Biofísica, Embriologia, Botânica e Fitomedicamentos, Biologia Molecular, Patologia, Genética, Bromatologia, Hematologia, Microbiologia, além de disciplinas comuns aos bacharelados clássicos, como redação acadêmica, ética e filosofia da ciência.

A maioria das faculdades exige um trabalho de conclusão de curso e, por lei, é obrigatória a conclusão de um estágio supervisionado de 800 horas, geralmente realizado no 5º ano do curso.

No Brasil…

O primeiro curso de Farmácia foi instituído no Brasil com a chegada da Família Real, em 1808, mas ainda no século XVI já faziam parte das comitivas de colonizadores os barbeiros cirurgiões e os aprendizes de boticários.

De acordo com o Ministério da Educação, a carga horária mínima do curso de Farmácia é de 4.000 horas/aula, complementadas pelo estágio. Na legislação anterior, de 1969, o estudante podia escolher entre três habilitações, além das funções básicas do farmacêutico: Bioquímica (com duas opções: Alimentos e Análises Clínicas) e Indústria. Desde 2002, no entanto, o MEC instituiu a formação do farmacêutico generalista, incorporando à formação primária todas as demais habilitações. Algumas faculdades ainda estão adaptando seus currículos.

Até a década de 1990, as indústrias farmacêuticas multinacionais prevaleciam no mercado brasileiro. Com a quebra das patentes e o estabelecimento dos medicamentos genéricos, no governo Fernando Henrique Cardoso, a indústria nacional cresceu bastante e, com o desenvolvimento da Biotecnologia e da pesquisa com plantas o mercado está se ampliando.

De acordo com o Conselho Regional de Farmácia de São Paulo, o salário inicial de um farmacêutico é de R$ 1.400 (em laboratórios e clínicas) e de R$ 1.800 (nas farmácias e drogarias). Os rendimentos, no entanto, podem ser mais altos, especialmente nas grandes redes e em alguns órgãos públicos de aprovação, regulamentação e fiscalização de novos produtos industriais.


Gostou? Compartilhe nas redes sociais :)

Cursos Gratuitos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *