Onde Investir Dinheiro em 2017?

Decidir onde investir o dinheiro poupado a cada mês depende do perfil de cada um.

Cada pessoa tem um estilo próprio de investir seu dinheiro: conservador, moderado, arrojado ou agressivo. Existem diversos produtos no mercado financeiro e a escolha envolve uma série de fatores, como estabilidade no emprego, idade, objetivos no médio e longo prazos, etc.

Especialistas indicam as melhores formas de investir seu dinheiro, de acordo com as suas características. As aplicações conservadoras não estão num bom momento. A caderneta de poupança, com as mudanças das regras, não é uma boa opção quando a taxa SELIC fica abaixo de 7,5% (como ocorre no momento). As únicas vantagens são a liquidez e a não incidência de imposto de renda.



Onde Investir Dinheiro

Onde Investir Dinheiro em 2017?

A renda fixa é um investimento seguro e estável. É a responsável pela maior parte do capital dos investidores conservadores, mas mesmo investidores que aceitam correr alguns riscos devem manter parte dos recursos em renda fixa, para diversificar as aplicações e manter uma reserva de segurança. O investimento em renda oferece estabilidade, segurança, liquidez e taxas de administração reduzidas.

+ Confira: Vale a pena investir em CDB?

Nos fundos de valor relativo, os gestores tentam agregar valor utilizando operações antagônicas. Assim, conseguem limitar as perdas e explorar o melhor de cada ativo. Mas neste investimento perdas e ganhos são limitados.

Estes fundos podem operar na bolsa de valores sem estarem relacionados com ela. Assim, podem subir ou cair conforme a oscilação da bolsa. Adicionalmente, a aplicação apresenta baixo risco, apesar de ser mais arriscada que a renda fixa. Fundos de Long/Short e de arbitragem são exemplos de valor relativo.

Nos fundos Macro, é possível aplicar em diversos mercados, tais como câmbio, inflação, bolsa, inflação, commodities, etc. Os gestores realizam diversas análises de mercado e decidem em quais ativos para obter os melhores resultados.  Os fundos são posicionados para ganhar tanto com a alta, como com a baixa dos mercados em que operam.

O ganho depende do acerto das previsões. Por isto, os fundos macro tendem a ser mais voláteis que os de valor relativo, mesmo que não sejam necessariamente mais arriscados.

Os fundos de ações são considerados os mais arriscados, devido à volatilidade das ações. Uma maneira de reduzir o risco é trabalhar no longo prazo, permitindo que as oscilações negativas sejam recuperadas. É possível obter altos ganhos em épocas de alta.

+ Confira: Como investir na bolsa?

Investimentos em imóveis, comprados diretamente ou através de cotas de fundos imobiliários, são uma boa opção. Alguns têm características de renda fixa, já que o rendimento é gerado pelos aluguéis, pagos mensalmente. Mas existem fundos com características de renda variável, que são negociados em bolsa. Assim, o preço das cotas é determinado com base na relação oferta e demanda.

+ Leia: Taxa SELIC – O que é? Taxa de Juros atual


Gostou? Compartilhe nas redes sociais :)

Cursos Gratuitos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *