Devo confiar no gerente do meu banco?

Eles trabalham com metas para a venda de serviços e produtos. Veja até que ponto se deve confiar no gerente de banco.

Um gerente de banco conhece profundamente a movimentação financeira dos seus clientes. Em geral, sabe melhor sobre os depósitos e retiradas do que os próprios membros da família. É possível confiar neste profissional, especialmente nos aconselhamentos sobre investimentos e financiamentos. Contudo, é importante não se fiar em uma única fonte. Afinal, negócios são negócios.

Publicidade



gerente de banco

Devo confiar no gerente de banco?

Os gerentes de banco possuem metas que devem ser cumpridas a cada mês. São vendas de planos de previdência privada, títulos de capitalização, abertura de novas contas correntes, aplicações, cartões de crédito, etc.


Em alguns casos, a situação seria cômica, se não fosse trágica. É famoso o caso de uma senhora aposentada de 86 anos, que foi â agência bancária pagar algumas contas e saiu de lá com um plano de previdência para “garantir o futuro”, depositando mensalmente determinada quantia por cinco anos. Por sorte, ela comentou o assunto com uma neta advogada, que prontamente desfez a “oferta”.

Verdades não ditas

Como empregado do banco privado ou público, o gerente precisa cumprir diversas tarefas, que variam de mês a mês. Em determinado momento, é necessário aumentar o volume dos depósitos em caderneta de poupança; em outro, aumentar a captação em títulos como os certificados de depósito bancário ou títulos do Tesouro Direto.

O problema é que os interesses da instituição bancária podem não ser atraentes para os correntistas, de acordo com os rendimentos e o perfil para aplicações financeiras. Nestes casos, não se deve confiar no gerente de banco: uma pesquisa na internet pode apresentar propostas mais condizentes com as necessidades dos clientes.

Entre agradar os correntistas ou defender os interesses da corporação, não tenha dúvidas de que o gerente de banco ficará com a segunda opção. O salário mensal depende do bom desempenho no cumprimento das funções.

Na opinião da maioria dos especialistas, os títulos de capitalização são uma encrenca. Os rendimentos são baixíssimos (menores do que os da poupança) e não permitem o resgate do valor total investido. A única atração é a possibilidade de concorrer a um prêmio, mas as probabilidades estatísticas são quase nulas. Mas, é evidente que o gerente de banco irá “dourar a pílula” para conquistar mais alguns investidores para a sua carteira.

gerente de banco confiável?

É preciso muita atenção ao avaliar os fundos de investimento. Não importa que eles tenham as taxas de administração mais altas do mercado, pouca liquidez e rendimentos abaixo do esperado. O gerente de banco certamente mostrará planilhas e gráficos.

É preciso verificar outras opções – e nunca colocar todo o dinheiro em apenas uma aplicação. Boas corretoras trabalham com fundos de várias instituições bancárias, proporcionando maior rentabilidade.

+ Leia também:

Alguns bancos oferecem redução – e até mesmo isenção – de tarifas para clientes com saldo médio elevado e bons níveis de investimentos. É um incentivo para que o dinheiro seja mantido em apenas uma instituição.

Em geral, o total pago pelas tarifas (emissão de cheques, cartões, extratos, etc.) fica muito aquém das taxas administrativas cobradas pelos fundos de investimentos. Em uma aplicação de R$ 100 mil, as taxas mensais ficam entre R$ 3 mil e R$ 5 mil, enquanto a cesta de serviços dificilmente excede os R$ 400 a cada mês.

O gerente de banco pode ser um conselheiro e, neste caso, ele é bastante confiável. No entanto, é preciso lembrar que ele não é um amigo, mas um profissional tentando cumprir o seu papel. Antes de investir, a pesquisa é fundamental. Afinal, quase ninguém tem dinheiro para jogar pela janela.


Gostou? Compartilhe nas redes sociais :)

Cursos Gratuitos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *