Cursos Técnicos Gratuitos de Formação Profissional

Cursos técnicos ou profissionalizantes são as designações do segmento escolar brasileiro voltado à qualificação de pessoal para os diversos segmentos da economia – agropecuário, industrial, comercial e de serviços.

Atualmente, o Ministério da Educação classifica os cursos técnicos em 13 eixos tecnológicos. Além da produção, comercialização e prestação de serviços, foram englobados cursos nas áreas de infraestrutura, segurança e tecnologia militar.

Cursos Técnicos Gratuitos



Cursos Técnicos Gratuitos de Formação Profissional

Os primeiros cursos técnicos foram implantados na década de 1930, durante o primeiro governo de Getúlio Vargas. Na época, o ensino obrigatório limitava-se ao curso primário, equivalente aos atuais 2º ao 5º anos do ensino fundamental. Posteriormente, os alunos cursavam o ginasial (6º ao 9º anos) e, em 1931, foi implantado o curso técnico comercial, com duração de um a três anos.

No ano seguinte, com a implantação do curso superior de administração, o curso técnico comercial perdeu seu caráter terminal. Na década seguinte, foram criadas escolas técnicas federais em diversos Estados brasileiros, mas o acesso ao nível superior, para concluintes destes cursos, só foi regulamentado em 1953. Na mesma época, foi implantado o sistema de ensino privado para a formação profissional para a indústria e o comércio, com a criação do SENAI e do SENAC, que até hoje oferecem cursos gratuitos. O objetivo era proporcionar maior mobilidade social para as crescentes massas urbanas de nível baixo e médio.

Cursos de Formação Profissional

Requisitos para se Inscrever num Curso Técnico Profissionalizante

É preciso ter concluído o ensino fundamental e não há idade mínima, mas o acesso geralmente acontece aos 15 anos. Algumas escolas só aceitam alunos que tenham concluído o 1º ano do nível médio numa escola regular. O acesso é obtido através de provas classificatórias e, em alguns casos, por sorteio.

O governo federal mantém 18 centros de educação tecnológica (com 33 unidades de ensino descentralizadas), seis escolas técnicas e 45 escolas agrotécnicas. Todas as unidades da federação oferecem cursos técnicos gratuitos, além de estabelecerem convênios com colégios particulares, conferindo bolsas de estudos através das RETECs (redes de ensino técnico).

Enquanto o ensino médio regular tem sua atenção voltada para a formação integral e teórica dos alunos, ministrando disciplinas variadas para uma posterior escolha da área de atuação profissional, o ensino técnico é mais voltado para a prática laboral, restringindo a grade curricular para determinada área.

Assim, um aluno que escolha um curso de contabilidade, por exemplo, não receberá tantas informações sobre química e física (só cursará estas disciplinas no 1º ano, ao contrário do curso regular). O curso técnico é voltado especificamente para a formação profissional; em tese, ele não prepara o aluno para o ingresso no nível superior.

Isto, no entanto, não impede o prosseguimento dos estudos; nosso aluno hipotético que concluiu o curso de contabilidade pode inscrever-se em Ciências Contábeis e complementar sua formação já com a bagagem obtida do ensino médio, além de ter mais facilidade de inserção no mercado de trabalho.

Os Eixos Tecnológicos

O MEC instituiu os eixos tecnológicos em 2008, através da publicação do Catálogo Nacional de Cursos Técnicos. Foram definidos o perfil descritivo, a carga horária mínima para cada curso e sua nomenclatura oficial. Entre 2008 e 2011, o ministério avaliou solicitações e sugestões de escolas e associações de professores e estudantes para otimizar o catálogo.

Os eixos tecnológicos são os seguintes:

  •  ambiente e saúde;
  •  controle e processos industriais;
  •  desenvolvimento educacional e social;
  •  gestão e negócios;
  •  informação e comunicação;
  •  infraestrutura;
  •  militar;
  •  produção alimentícia;
  •  produção cultural e design;
  •  produção industrial;
  •  recursos naturais;
  •  segurança;
  •  turismo, hospitalidade e lazer.

Ao todo, foram classificados 186 cursos. A relação pode ser consultada por no site do MEC (portal.mec.gov.br/cnct/eixos_tecnologicos).

Cuidados ao escolher um curso técnico

Em primeiro lugar, é preciso verificar se o curso está registrado no MEC e na secretaria estadual de educação. Em seguida, a situação da profissão escolhida no mercado de trabalho; alguns cursos, como Petróleo e Gás, tem sua área de atuação restringida a determinadas regiões brasileiras, produtoras dos combustíveis.

Confira a lista de cursos profissionalizantes aqui!

É importante também avaliar as qualificações e potenciais do aluno, seus interesses. Um teste vocacional é importante para garantir a melhor escolha. Conhecer as matérias que serão estudadas ajuda da hora desta importante opção, que afetará a vida por toda a carreira profissional.


Gostou? Compartilhe nas redes sociais :)

Cursos Gratuitos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *